Por que o Manejo Integrado de Pragas é tão importante para sua lavoura

Manejo Integrado de Pragas

O Manejo Integrado de Pragas (MIP) tem sido cada vez mais utilizado para combater as ameaças fitossanitárias e promover a sustentabilidade da produção agrícola. Ao utilizar corretamente as estratégias de manejo é possível manter o equilíbrio do ambiente, reduzindo custos com defensivos agrícolas e impedindo prejuízos à produtividade da lavoura.

Somado a isso, a demanda por alimentos com menores concentrações de resíduos químicos está cada vez maior, o que faz com o que o Manejo Integrado de Pragas se torne uma alternativa eficiente para a qualidade e produtividade de diferentes culturas. Continue a leitura e saiba mais sobre sua importância!

Afinal, o que é Manejo Integrados de Pragas?

O Manejo Integrado de Pragas pode ser definido como um conjunto de medidas que visa garantir o controle de pragas que possam comprometer os resultados da lavoura. O objetivo dessas técnicas é manter as pragas abaixo do nível de dano econômico (NDE), ou seja, a menor densidade populacional da praga que causa dano econômico.

A finalidade do MIP não é o de eliminar totalmente as pragas, mas reduzir a sua população para abaixo do nível de controle (NC), isto é a menor densidade populacional da praga na qual táticas de manejo necessitam ser tomadas para impedir que o NDE seja alcançado.

Para isso, o Manejo Integrado de Pragas considera o uso de diferentes métodos de proteção de plantas disponíveis e a integração de medidas apropriadas para garantir o controle adequado das pragas. 

Quais os benefícios de adotar o MIP?

  • Controla pragas da lavoura;
  • Mantém a biodiversidade do agroecossistema;
  • Preserva inimigos naturais;
  • Reduz a aplicação de inseticidas químicos;
  • Diminui o impacto ambiental;
  • Preserva a biotecnologia no campo;
  • Reduz perdas da lavoura;
  • Aumenta a produtividade.

A importância da avaliação e monitoramento da lavoura

A avaliação da sua lavoura e das principais pragas que podem prejudicá-la é fundamental para identificar em qual momento da plantação uma praga pode causar mais prejuízos. Isso permite adotar medidas preventivas e colocar os métodos de controle em prática no momento certo.

Para isso, você deve conhecer os hábitos da praga e seus respectivos inimigos naturais, já que, assim, você terá mais assertividade para identificar os melhores métodos de controle que poderá utilizar em sua lavoura.

Também é importante observar as condições climáticas da sua região: temperaturas mais altas aceleram o ciclo de vida dos insetos, fazendo com que se tenha mais gerações em uma safra, podendo prejudicar ainda mais sua lavoura.

Já o monitoramento é importante para auxiliar na tomada de decisão. Ele deve ser feito regularmente para conhecer a densidade populacional ou nível de danos de uma praga na lavoura.

Recomenda-se, no mínimo, seis amostragens para lavouras de até 10ha. Cada ponto de amostragem deve corresponder ao exame de, pelo menos, 5 ou 6 plantas. O ideal é que essa tarefa seja realizada com o auxílio de aplicativos ou softwares agrícolas.

Principais métodos de controle do Manejo Integrado de Pragas

O Manejo Integrado de Pragas envolve diversos tipos de práticas para manter as pragas abaixo do nível de dano econômico e evitar qualquer prejuízo à lavoura.

Controle cultural

São práticas agrícolas que diminuem a incidência das pragas e/ou que promovem uma lavoura sadia. As principais são: 

  • Mobilização do solo;
  • Rotação de cultura;
  • Destruição de restos culturais;
  • Adubação correta;
  • Época de plantio adequada;
  • Irrigação ou drenagem; 
  • Destruição de hospedeiros alternativos.

Controle biológico

Consiste em ações para preservar os inimigos naturais da praga a ser combatida, por meio da liberação de predadores e/ou parasitóides ou, ainda, aplicação de inseticidas formulados com Bt ou baculovírus.

Controle comportamental

O controle genético pode acontecer de duas formas: com o uso de organismos geneticamente modificados (OGM), como plantas modificadas geneticamente para controle de insetos; ou com insetos geneticamente modificados, como machos estéreis, para controle da espécie que está causando danos.

Plantas resistentes

O uso de plantas resistentes tem se tornado uma prática comum de Manejo Integrado de Pragas. Nesse caso, as próprias plantas utilizam recursos para controlar determinada praga através da resistência genética.

Como os fertilizantes organominerais podem ajudar?

Os fertilizantes organominerais também são uma alternativa para auxiliar no controle de pragas, mesmo que de maneira indireta. Esses produtos trazem importantes benefícios para o desenvolvimento das culturas, como:

  • Fornecimento gradual de nutrientes;
  • Menor perda de nutrientes;
  • Maior absorção e retenção de água;
  • Melhoria no desenvolvimento do sistema radicular;
  • Estímulo à atividade biológica do solo;
  • Melhoria da agregação e estrutura do solo;
  • Aumento da CTC do solo;
  • Aumento de matéria orgânica;
  • Dentre outros.

Dessa forma, os organominerais ajudam a melhorar o metabolismo, a fotossíntese e outros processos fisiológicos, resultando em culturas mais sadias, mais bem nutridas, com maior vigor na fase de brotação e, consequentemente, com maior resistência ao ataque de pragas e doenças. 

Quer continuar acompanhando nossas dicas? Siga-nos no Facebook e Instagram para não perder nossas atualizações.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Desenvolvido por : produzdigital.com.br