5 práticas para te ajudar no controle de pragas da sua plantação

controle de pragas

O controle de pragas é uma técnica extremamente necessária para garantir qualidade e alta produtividade nas lavouras. A ausência de práticas que eliminem insetos e microrganismos danosos à plantação pode resultar em uma colheita pouco produtiva e saudável, comprometendo a lucratividade do produtor.

Por outro lado, é preciso que a estratégia de controle de pragas seja muito bem planejada e executada, uma vez que envolve recursos, insumos e mão de obra. O ideal é que as práticas de controle sejam executadas no início das infecções, para possibilitar menores custos e danos às culturas.

Por que evitar o uso de pesticidas?

O controle químico por meio de pesticidas – como fungicidas, inseticidas, herbicidas e  bactericidas – ainda é uma técnica muito comum utilizada pelos agricultores brasileiros. Apesar de sua eficácia e rápida ação no controle de pragas, esses insumos podem acabar causando problemas caso não sejam empregados de forma eficiente.

Um dos principais problemas em termos de qualidade e produtividade da lavoura é a resistência das pragas aos pesticidas. Quando a aplicação de um mesmo defensivo é feita de maneira repetitiva, ou utilizada em épocas e condições inadequadas, as pragas podem passar a criar uma resistência sobre a ação do produto.

Se isso acontecer, o produtor pode enfrentar sérios prejuízos, com perdas em diversos graus na lavoura e, em casos mais graves, perda de toda a plantação. Tudo isso se reflete em aumento nos custos de produção e menor lucratividade para o produtor.

Além disso, o uso de pesticidas ainda promovem controle temporário, desequilíbrio ecológico, ressurgência ou aparecimento de novas pragas e efeitos danosos à saúde do homem e outros animais. Por isso, o uso de pesticidas é recomendado apenas quando a população da praga estiver fora de controle ou em níveis críticos.

Como realizar o controle de pragas?

Para evitar o uso de pesticidas, existem outras técnicas mais sustentáveis, com menor custo e maior eficácia no controle de pragas. Confira as principais!

Manejo Integrado de Pragas (MIP)

O Manejo Integrado de Pragas está diretamente relacionado à análise de dados e ao monitoramento da plantação. A vistoria frequente da lavoura possibilita identificar qualquer sinal de praga e, assim, combatê-las o mais rapidamente possível. A variação do defensivo agrícola e a menor quantidade de aplicação são duas regras básicas do MIP. O resultado é uma maior economia para o produtor, controle mais eficiente e menos danos ao meio ambiente.

Controle biológico

O controle biológico tem ganhado cada vez mais espaço como uma alternativa para se adequar ao novo modelo de produção agrícola sustentável. Essa técnica propõe o uso de inimigos naturais para promover o controle de pragas específicas. Para isso, pode-se utilizar microrganismos ou até mesmo insetos e predadores. Um exemplo é o Baculovírus, um microrganismo que ataca a lagarta da soja e pode ser dissolvido na água para ser pulverizado.

Rotação de culturas

A produção de uma cultura repetidamente no mesmo local favorece o aumento na ocorrência e na quantidade de pragas. A técnica de rotação de culturas permite prevenir o surgimento, a fixação e a multiplicação de pragas e doenças, uma vez que quebra o ciclo de desenvolvimento das pragas por retirar a cultura hospedeira principal.

Dessecação pré-plantio

A dessecação pré-plantio  é uma prática utilizada para eliminar toda a vegetação existente em uma área antes da semeadura. A técnica é realizada por meio da aplicação de um ou mais herbicidas para secar plantas daninhas e restos da cultura antecessora aproximadamente 30 dias antes do plantio. Além de auxiliar no controle de pragas, também promove o aumento na qualidade dos grãos, redução de perdas, maior facilidade no plantio, dentre outras vantagens.

Fertilizantes organominerais

Embora não atue diretamente no controle de pragas, o uso de fertilizantes organominerais promove melhor controle do problema, como melhora a absorção de nutrientes e processos fisiológicos das plantas, os organominerais contribuem para uma lavoura bem nutrida e mais resistente ao ataque de pragas e doenças. Saiba mais sobre os fertilizantes organominerais!

Aproveite para nos seguir no Facebook e Instagram e ficar por dentro de todas as nossas dicas, novidades e conteúdos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Desenvolvido por : produzdigital.com.br