Entenda por que o plantio direto deve fazer parte do seu manejo agrícola

plantio direto

Introduzido no Brasil na década de 1970, o sistema de plantio direto vem sendo utilizado por cada vez mais produtores. Podendo ser empregado tanto em grandes áreas de cultivo como em pequenas propriedades, esse modelo de plantio oferece vantagens significativas em termos de produtividade e rentabilidade.

Segundo dados da Embrapa Soja, o sistema de plantio direto pode garantir uma produtividade 60% maior em relação ao cultivo tradicional. Se você ainda não utiliza essa estratégia em sua propriedade, preparamos este artigo para você conhecer a importância e os benefícios do plantio direto. Acompanhe!

Os princípios do plantio direto

O sistema de plantio direto utiliza técnicas recomendadas para aumentar a produção agrícola, ao mesmo tempo em que propõe a conservação e a melhoria contínua do ambiente de cultivo. Para isso, o método se baseia em 3 princípios:

Mínimo revolvimento do solo

A base do plantio direto é o não revolvimento ou revolvimento mínimo do solo. O indicado é que, neste preparo inicial, seja revolvido apenas no solo a linha de semeadura. Também pode ser realizada a correção das camadas superficiais com a calagem, e se necessário, a realização da calagem para correção nas camadas mais profundas.

Como o Brasil possui clima subtropical e tropical, ou seja, quente e úmido na maior parte, não há necessidade de revolvimento da terra, já que esta prática visa, justamente, produzir calor para o plantio da semente.

Cobertura de palhada

A cobertura de palhada é formada pela matéria orgânica depositada no solo após a máquina colhedora retirar a planta da terra e separar os grãos. Geralmente, é composta por galhos, folhas, raízes e outros resíduos orgânicos.

A cobertura do solo deve ser bem planejada para evitar que as condições climáticas favoreçam a rápida decomposição do material vegetal. Quando bem realizado, o manejo do solo coberto pode oferecer importantes benefícios, como:

  • Reduz o impacto da chuva na superfície do solo;
  • Reduz a perda de nutrientes por lixiviação;
  • Ajuda a manter a temperatura ideal para as plantas;
  • Diminui a perda de água por evaporação;
  • Elimina ou minimiza a ocorrência de erosão.
  • Fornece um ambiente favorável para o crescimento vegetal.

Rotação de culturas

Essa é uma técnica eficiente para reduzir os impactos ambientais provocados pela monocultura. Assim, a rotação de culturas ajuda a melhorar as condições físico-químicas e biológicas do solo no longo prazo, além de contribuir para a redução de doenças, plantas daninhas e pragas, já que favorece a quebra do ciclo de vida delas.

Com a melhoria na estrutura do solo, é possível aumentar a retenção de água, reduzir a compactação do solo e aumentar a fertilidade do solo. Por fim, diferentes espécies possuem diferentes raízes que liberam substâncias e contribuem para o enriquecimento do solo.

Benefícios do plantio direto

Além dos benefícios que podemos observar nos tópicos acima, o plantio direto ainda garante diversas outras vantagens para a produção agrícola. Confira as principais:

  • Melhor germinação de sementes e melhor emergência de plantas;
  • Otimização do uso de fertilizantes e corretivos;
  • Aumento de matéria orgânica e de carbono do solo;
  • Reciclagem de nutrientes, aumentando a fertilidade do solo;
  • Aumento da atividade biológica
  • Melhoria da estrutura do solo;
  • Redução de custos de produção;
  • Redução de emissão de CO2 e de outros gases de efeito estufa.

A importância da matéria orgânica

Grande parte dos benefícios proporcionados pelo sistema de plantio direto deve-se à presença da cobertura de palhada, que é rica em matéria orgânica. Cerca de 80% da fertilidade do solo depende, justamente, da matéria orgânica.

Como não é recomendado revolver o solo, o ideal é introduzir plantas com elevado potencial de produção de matéria seca para evitar a rápida degradação e decomposição causadas pelas condições de altas temperaturas e umidade.

A presença da palhada evita a destruição mecânica dos agregados do solo, permitindo maior armazenamento de nutrientes e melhorando a ação de fertilizantes e corretivos em comparação com o manejo tradicional.

Esse ambiente mais favorável ao desenvolvimento das plantas resulta em uma produção mais lucrativa e rentável para o produtor. A recuperação e manutenção do solo também é um resultado benéfico para a atividade agrícola.

Fertilizantes X Plantio direto

O plantio direto atua como fator preponderante para maior eficiência da adubação.  Sobretudo quando envolve culturas em rotação, o plantio direto pode propiciar maior estoque e eficiência de ciclagem de N, o que permitiria trabalhar com menores doses de fertilizantes.

Como o plantio direto resulta em maior eficiência de aproveitamento dos nutrientes e da água no solo, é possível realizar a aplicação de fertilizantes a lanço, em superfície. A antecipação desta prática agrícola pode conferir maior rapidez na execução da semeadura, aumentando a possibilidade da implantação da cultura dentro da época mais adequada, com ganhos indiretos na produtividade da cultura de verão.

Resultados de pesquisa realizados em diferentes condições edafoclimáticas indicam que, em áreas cultivadas no sistema de plantio direto que ainda apresentam baixa a média disponibilidade de fósforo e/ou potássio, a adubação deve ser efetuada no sulco de semeadura, principalmente na cultura do milho.

Por outro lado, em áreas com alta fertilidade é possível optar-se pela adubação antecipada da cultura de verão, desde que o sistema produtivo utilizado permita a adequada manutenção da cobertura vegetal e o acúmulo de matéria orgânica no solo.

Continue nos acompanhando no Facebook e Instagram para conferir nossas dicas, novidades e conteúdos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Desenvolvido por : produzdigital.com.br